Golfo de Aqaba e as fronteiras 

Após 1 dia e meio de boa vida em Sharm el Sheikh, num resort de frente pro mar, era hora de seguirmos viagem rumo à Jordânia, para conhecermos a tão falada Petra.



Esta parte da viagem foi organizada lá mesmo, afinal não sabíamos muito como iríamos até Petra; se iríamos por nossa conta ou de tour, se sairíamos cedo de Sharm ou de tardinha, se íamos dormir em Eilat, Aqaba ou ir direto a Petra, etc. 


A princípio, iríamos reservar um day tour de Sharm a Petra, mas como iríamos até Jerusalém depois, os tours não possibilitavam que nós ficássemos na Jordânia ao final do dia para seguirmos viagem. Por questões burocráticas, tínhamos que ir e voltar com eles, o que atrasaria todo nosso esquema e seria ainda mais cansativo, além de bem mais caro. Então, optamos por ir by ourselves e foi o melhor que poderíamos ter feito! 


Compramos passagem de ônibus de Sharm el Sheikh a Taba, última cidade egípicia na fronteira com Israel. 
A passagem custou 30 LE (cerca de R$ 10,00) por pessoa. A empresa que faz o trajeto é East Delta. O ônibus sai diariamente às 9:00h e a viagem até Taba dura cerca de 4 horas horas. Mais informações aqui. O ônibus é meio velhinho, mas pelo menos tinha ar condicionado! Na rodoviária, só tinha eu e o Alessandro de turistas. O resto, todos nativos. O difícil era saber se compramos o destino certo e se entramos no ônibus certo, já que todas as informações são em árabe.

 

O ônibus passa na cidade de Dahab e Nuweiba, onde outros turistas foram se juntando a nós.
 
Durante a maior parte da viagem, o ônibus vai margeando o mar Vermelho, com montanhas douradas ao redor, com um visual de tirar o fôlego. Como este pedaço é um golfo, chamado Golfo de Aqaba, quase não há vento, então o mar é tipo piscininha mesmo, sem nenhuma ondinha.
 
Montanhas douradas pelo caminho….
Lá do outro lado do mar, a Arábia Saudita!!
Quando o ônibus chegou em Taba, o motorista perguntou se queríamos que ele nos levasse por 1 USD cada até a fronteira. É claro que quisemos, mas quando fomos ver, o terminal rodoviário era do lado da fronteira e ele não chegou a dar meia dúzia de voltas na roda daquele ônibus! Aff, mais um golpe egípicio! Proporcionalmente, saiu mais caro que o do camelo hahaha! Quando fomos tirar as malas do ônibus, o fundo da mala do Alê tinha rasgado e tivemos que arrastar aquela mala enorme, com o fundo agarrando num chão de asfalto com alto coeficiente de atrito, que fez duplicar o peso da mesma.
 
Na saída do país, tivemos que comprar 2 selinhos para colar no cartão de saída. Custou 2 LE cada, mas quase não tivemos dinheiro pra pagar o selinho, acredita? Tínhamos gastado todas nossas moedinhas e só tínhamos notas altas de dólares. Saí catando todas as moedas possíveis na bolsa e sobraram míseros centavinhos. De repente, o Alessandro acha um maço de dinheiro no chão, com 60 LE ( cerca de 20 reais) e uma nota de 50 shekels, a moeda israelense, que valia cerca de R$ 25,00. Êba, que sorte! Adoro achar dinheiro na rua kkk .

 



Passamos pelo controle de passaporte egípicio e depois, entramos na fronteira israelense. Para entrar em Israel, não se paga nada, mas se paga para sair. A entrada estava super vazio e foi bem tranquilo. A atendente nos fez algumas perguntas, como: quantos dias ficaríamos; para onde estávamos indo; se tínhamos reserva em algum hotel; se éramos casados, etc. Sempre com sorriso no rosto e simpatia, sem mexer nas nossas malas.

 

 

Trocamos alguns dólares em shekels e, de repente, tcharã, avistamos a placa “Welcome to Israel! Já na saída do check point a gente sente diferença de um país para o outro. A cidade mais próxima da fronteira é Eilat, um balneário israelense super movimentado, com gente bonita, educada, simpática, bem diferente dos vizinhos. Ficamos um fim de tarde nesta cidade, na volta da Jordânia, que contarei posteriormente.

 
Passando no check point!!
 
Esperamos pelo ônibus de número 15 , que liga a fronteira ao terminal rodoviário de Eilat (6,40 NIS), e vai fazendo um tour pela cidade. E que gracinha de cidade!
 
Esperando o ônibus com este visual aí em baixo

 

 

Olha a cor desta água!

 

Do outro lado, a Jordânia
No terminal, tivemos que pegar um táxi para a fronteira com a Jordânia (30 NIS), pois não tem ônibus que faz este trajeto.
E toda a operação se repete, mas desta vez, abriram minha mochila, pois encanaram com um vaso de porcelana lá dentro (acho porque tinha um formato parecido com uma bomba). Abriram minha mala também, por causa de uma bandeja. Antes, tivemos que pagar a taxa de saída de Israel (USD 30 por pessoa). Mas sempre, todos com muita cordialidade e um sorriso nos lábios. Quando viam nossos passaportes brasileiros então, mais simpáticos ficavam.
O turista que entrar na Jordânia pela fronteira de Aqaba não precisa de visto, desde que deixe o país em até 30 dias. De qualquer forma, é bom ler mais a respeito aqui
 
Saindo de Israel, rumo `a Jordânia
Quase lá….e a mala estourada kkkk
Chegamos!!!!
Ao saírmos do check point, na cidade de Aqaba, havia uma série de taxistas à espera de turistas para levar a Petra. Já era mais de 4 da tarde. Não tinha mais ônibus para Petra. Ou a gente dormia em Aqaba pra pegar o ônibus no dia seguinte, ou a gente pegava um destes táxis, a preços tabelados, e seguia para Petra direto. Pensamos bem e achamos melhor irmos direto a Petra de táxi (55 JD ou R$ 150,00). Ganharíamos tempo no dia seguinte, já dormindo em Petra, apesar de ser mais caro. 
 
Negócio fechado, cerca de 2 h depois, chegamos no vilarejo de Wadi Musa, cidade onde fica Petra. 
No caminho, mais lindas paisagens do deserto de Wadi Rum…
 
Wadi Musa
O  taxista nos levou ao Valentine Inn, um hostel bem simples, mas muito agradável. Já tinha lido sobre ele no guia da Lonely Planet. O preço também era bem bom para os padrões jordanianos. O que mais me animou foi a quantidade de turistas do mundo todo que estavam lá. Muitos jovens e até casais mais de idade. Chegamos bem na hora do jantar, onde há um buffet livre por apenas 5 JD por pessoa! Outra vantagem do hostel era o transfer grátis de ida e volta  a Petra, que não era longe, mas que dava uma boa  caminhada! Decidimos que iríamos ficar ali mesmo. Negociamos com o mesmo motorista a volta, por quase metade do preço da ida.
 
Tomamos um belo banho, jantamos, trocamos dinheiro com o próprio dono do hotel e fomos descansar um pouco. No dia seguinte, teríamos que estar de pé cedinho, para conhecer a enigmática Petra!! 
 
 

PLANEJE SUA VIAGEM

Se você gosta das dicas do blog e se de alguma forma elas ajudam você a planejar sua viagem, ajude-nos a manter o site fazendo faça suas reservas através dos links abaixo, sem nenhum custo adicional. Clicando nestes links, você contribui para manter o site sempre no ar e não tem que pagar nada a mais por isso!

Reserva de Hotéis

Booking.com: é o site onde reservo praticamente 100% dos hotéis nas minhas viagens. Ele é super prático e na grande maioria das vezes disponibiliza reservas com cancelamentos grátis. Nele é possível selecionar os hotéis por categorias, preços, localização e comodidades! Clique neste link para reservar seu hotel.

Aluguel de Carros

Rentalcars.com: uma das maiores empresas de aluguel de carro no mundo, onde é possível comparar preços em diversas locadoras do mundo, dentre elas, as gigantes Hertz, Avis, Europcar, etc. As reservas geralmente são canceláveis gratuitamente, já que planos de viagem sempre podem mudar! Sempre reservo meus carros com a Rentalcars no mundo todo e super indico. Clique neste link para reservar seu carro com a RentalCars.

26 thoughts on “Cruzando Fronteiras: de Sharm el Sheikh a Petra, passando por Israel”

  1. Carol,
    Adoro o modo como vocês viajam. Super independentes. Também optamos sempre por fazer nossas programações sem a interferência de guias e agências de turismo.
    Quero muito conhecer Petra. Aguardo ansiosa os próximos capítulos…
    Beijos de Londres
    Claudia

  2. Ai, não tem coisa melhor, né?! A gente começa a diversão bem antes, com os preparativos e as pesquisas da viagem!!! Já já o post de Petra e Israel!!! Bjsss do Brasil rsrs

  3. Obas, tdo Ok? gostei muito do blog! Eu estou indo agora em fev-12 para esta região e realmente fiquei meio preocupado com os detalhes das passagens pelas fronteiras entre Israel e Jordania. Eu virei de Jerusalém, provavelmente de bus, e passarei por Eilat-Aqaba e indo para Petra, como vc’s fizeram. Se tiver alguma outra dica, qualquer coisa que ajude, peço que enviem. Parabéns, valeu mesmo e abços! Carlos , cidade de Jaú-SP !

  4. Oi, Carlos, tudo bem? Você mora bem pertinho de mim! Adoro sua cidade pra comprar uns sapatinhos rsrsrs Não se preocupe, porque é super tranquilo. Eu também estava com muita tensão nesta fronteira, por tudo que a gente escuta na TV, mas foi muito mais fácil do que imaginava! Se você chegar cedinho na fronteira, a dica é ir de ônibus pra Petra, que é bem mais barato. Como eu cheguei tarde, já não tinha mais esta possibilidade. Aguarde os próximos posts de Israel. Vc já tem hotel em Jerusalém? Recomendo o The Jerusalem Hostel. Excelente ambiente e localização perfeita! Abraços e obrigada pelo elogio ao blog!!

  5. Olá.
    Muito bom o vosso blog, querendo beber um pouco da vossa experiência gostava de saber em que época do ano (mês) viajaram pelo Egipto, que tal de temperatura da água, noites, etc.
    Obrigado

    1. Olá José Miguel, obrigada! Nos fomos em outubro e, tanto os dias quanto as noites eram bem quentes, mas um calor suportável. A água também era perfeita pra um refrescante mergulho no amar Vermelho.

  6. Oi Carol,
    Esotu planejando ir para egito, jordania e israel no fim do ano (mais ou menos 28/12 a 10/01), uns 15 dias. Sera muito frio nessa época?? Vc chegou nesses dias por qual cidade? (Cairo?) Ja vi que os hoteis tem preços bem justos nessa região toda. Então minha duvida são passagens e deslocamentos internos (se avião, onibus, etc.) Aconselha alguma ordem das cidades, para melhor aproveitamento?
    Obrigada!!

    1. Oi, AMria, o Egito é bem barato mesmo. Dezembro é uma ótima época, mas não é frio. As noites são mais frescas, mas nada demais! Eu cheguei pelo Cairo e peguei um vôo pra Sharm el Sheikh, no Mar Vermelho e de lá, segui de ônibus até Eilat, na fronteira com Israel…Compre com antecedência, não lembro de preços, mas não eram muito caros. Veja também opções de trem e barco para Luxor. Beijos

  7. Perdona, puedo leer el portugues pero no escribirlo. Tengo previsto viajar a Sharm el Sheikh – PETRA – ¿Sharm el Sheikh? – LUXOR -EL CAIRO – ¿Sharm el Sheikh? – MADRID

  8. fiquei com inveja da aventura de võces, parabens se falasse pelo menos um pouco ingles,viajaria sozinho. se me convidarem irei com voces. Parabens! abraços.

  9. Carol,
    Boa-tarde!

    Vamos para Israel no carnaval de 2017 e já estou contando os dias… Uma cultura muito diferente, muitas novidades… Jamais me imaginei chegando tão longe! :p
    Meu esposo e eu estamos indo bem independentes também.
    Vamos chegar em TelAviv e pretendemos alugar carro e ir ao Cairo e Jordânia (Aqba, Petra e Amã). Você acha possível e se vale a pena atravessar as fronteiras com o carro alugado de Israel?
    Obrigada e parabéns pelo blog!

    1. Oi Helena, olha, desconheço alguém que tenha alugado carro nesta região e transitado entre estes países. Não sei como funciona, mas acredito ser tranquilo. Sugiro que você envie um email pra locadora de carros em Israel. Boa sorte e depois, conte como foi! Bjs e obrigada pelo elogio ;)

  10. Ola Carol, tudo bem?
    estou querendo fazer Israel, Egito e Petra em Agosto de 2017. Estamos pesquisando deslocamentos,roteiro, mas estou c uma super duvida. Queremos fazer tudo por conta propria, mas estamos meio receosas, pois somos em 3 amigas. Gostaria de saber se sentiu alguma insegurança, e se acha q e tranquilo mulheres viajando desacompanhadas pelo Egito e Petra?
    Muito obrigada

    1. Olá Ana, olha no Egito tem que ficar bem alerta sim, mas não acho que estando em 3 vocês terão problemas! O povo encara a gente muito! Em Petra achei mais tranquilo! No Egito eu estava o tempo todo com meu marido, mas no Marrocos, fui com minha mãe e minha irmã apenas e em alguns momentos, ficávamos com um pouco de medo, principalmente quando voltávamos pro nosso hotel, na Medina. Às vezes tínhamos a impressão de estarmos sendo seguidas e apressávamos o passo ou tentávamos entrar em algum lugar, fingíamos falar ao telefone, etc. Se puderem contratar um guia, melhor! Beijos

  11. Olá Caroline! Muito legal o seu site. Um dos melhores que vi sobre o Egito/Jordânia/Israel. Muito bem escrito e esclarecedor. Parabéns!
    Gostaria de fazer uma pergunta. Conversando no consulado da Jordânia aqui no Brasil, assim como do Egito, eles dizem que temos que obter o visto antes da viagem. Em dezenas de sites, no entanto, eu vejo relato de pessoas que, assim como você, obtiveram o visto na entrada do país, como foi quando você entrou na Jordânia. Você saberia me falar se realmente é possível eu obter o visto quando chegar no Egito/Jordânia? Moro em Belo Horizonte e a forma de obter o visto enviando o passaporte por correio para o Rio, por exemplo, é bem mais cara e mais trabalhosa.
    Desde já agradeço a sua resposta.
    E mais uma vez, parabéns pelo site!!! Continuarei acompanhando suas viagens.

    1. Olá Tiago, obrigada pelo elogio e pelo carinho! No Egito é tranquilo o visto na chegada ao aeroporto, mas na Jordânia tem que ficar atento com a fronteira. A que eu atravessei, no golfo de Aqaba, permitiu que eu fizesse lá na hora, mas já na época o Guia Lonely Planet avisava sobre outras fronteiras que não davam. Eu fui em 2011, logo melhor dar uma atualizada nos sites oficiais mesmo. Até poderia te ajudar a pesquisar se não tivesse tão cheia de compromissos para os próximos dias. Recomendo que você compre um guia da LP da região atualizado, mas só tem em Inglês. Qualquer outra dúvida, estou à disposição.

      1. Muito obrigado pela resposta Carol!

        Vou procurar saber nos sites oficiais, então. Estou indo no final de março/17 para lá. Quando voltar, coloco aqui como foi.

        Abraço!

  12. ola tudo bem?
    aadorei as dicas, mas vou viajar sozinha.. voce acha muito ruim fazer esse percurso sozinha? obrigada

    1. Oi, Nathalia, olha o Egito é um país complicado para mulheres viajarem sozinha. Não sei se você vai se sentir bem, pois os homens olham muito, assediam, sabe?..não sei se encararia uma viagem destas sozinha, ainda mais este trecho que você terá que fazer de ônibus e geralmente só tem locais! Israel acho mais tranquilo. Bjs e boa sorte! Se for, conte aqui como foi!

  13. Parabéns pela descrição detalhadada. Farei exatamente seu percurso de Sharma shaeik para Taba em seguida Jordania. Me ajudou bastante pois não sabia como fazer pois não queria voltar de sharma para cairo e seguir Aman. Se não for pedir demais voce pode responder para meu email. Aqui fala em site e não sei o que escrever por isso achei que respondendo aqui nao teria acesso. Outra coisas vale a pena dormir uma noite em Aqaba? Queria seguir cedinho pelo deserto. Muito obrigada
    fatima

  14. Olá Carol, td bem?
    Vc falou que o táxi é tabelado. Será que é fácil encontrar alguém na fronteira para dividir o táxi para Petra ou para o centro de Aqaba?
    Será que é possível conseguir algum transfer de algum hotel ou de algum dos acampamentos de Wadi Rum que busque direto na fronteira?
    Pensei em de repente alugar um carro retirando no aeroporto de Aqaba, que é mais perto da fronteira do que o centro. O táxi é tabelado para o aeroporto também? Se não conseguir ninguém para dividir o táxi na fronteira, parece que fica mais barato alugar um carro. O que acha?
    Obrigado.

    1. OI Marco, eu eu pra esta região em 2011, logo muita coisa deve ter mudado de lá pra cá. na épica, era fácil conseguir dividir carro de você chegasse na fronteira cedo. Como chegamos no final da tarde, éramos só nós, então pagamos o táxi todo. Acho que deve ter sim acampamentos em Wadi Rum que oferecem serviço de transfer. No meu post de Eilat eu dou o contato de um motorista de táxi que pegamos, por sorte, e que fala português. Pode ser uma opção. Eu acho que hoje em dia, eu alugaria um carro pra fazer estes transfers, mas teria que estudar mais a respeito pra poder dizer. Abraços

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

  • A piscina fabulosa do @theedgebali por outro ângulo! Tem post no blog sobre minha visita nesta mega piscina, já viram? ➡️ www.viciosdeviagem.com #Bali #TheEdge #viciosdeviagemindonesia 📸 @golden_heart
  • Só em Koh Lipe, Tailândia 🇹🇭, a gente encontra uma praia destas só pra nós ❤️❤️❤️. Roteiro completo no blog ➡️ www.viciosdeviagem.com #Thailand #Tailandia #KohLipe #viciosdeviagemtailandia
  • O por do sol em Uluwatu, #Bali, é lindo tanto do alto quanto da praia , que por sinal no fim do dia, fica uma piscina 🏊‍♀️ ! Nós experimentamos assistir das duas formas e ambas são imperdíveis! 🌅 #Indonesia #viciosdeviagemindonesia
  • Padang Padang foi cenário do filme Comer, Rezar e Amar, estrelado por Julia Roberts... ao contrário de Uluwatu, esta praia não some na maré alta e é uma das praias mais parecidas com as nossas praias brasileiras! Saudade enorme de #Bali ❤️❤️❤️ #Indonesia #PadangPadang #ViciosdeViagemIndonesia
  • Quem foi que disse que #Bali tem praias feias? A ilha tem praias lindas, como Uluwatu, Balangan, Bingin e Padang Padang (foto)... Sonho o dia em voltar nesta ilha dos sonhos ❤️! No blog o roteiro desta viagem! #Indonesia #ViciosdeViagemIndonesia
  • Durante meus dias em #Bali, fui visitar a piscina do @theedgebali , de fundo de vidro a 182 m de altura dos penhascos de Uluwatu (na foto dá pra ver as rochas láaaa embaixo) No blog tem um post detalhado de como foi conhecer esta piscina que está dando o que falar... #theedgebali #oneeighty #infinitypool
  • O roteiro de 30 dias da minha última viagem pelo Sudeste Asiático está no blog, já viram? 📸: Maya Bay, Tailândia, Nov/17 ! #asia #thailand #tailandia #mayabay #phiphi
  • Retrospectiva 2017: em abril visitamos a África do Sul, um país pra lá de incrível, com ótima gastronomia, vinhos, belas paisagens, safaris e ótimos custos! Esta é a vista do topo da Table Mountain. No blog tem uma série de posts desta trip! #africadosul #capetown #viciosdeviagemafricadosul

Me Acompanhe no Instagram